8.09.2017

Os Sinos de Nagasaki - Os Católicos Mortos - Grande Almanaque Mauj

Nagasaki tem algo muito em comum com qualquer cidade interiorana brasileira: os sinos das igrejas badalam, para convidar todos à missa. É um grande reduto católico no Japão.

Na manhã de 9 de Agosto de 1945 os sinos de Nagasaki se calaram.

Uma bomba atômica, despejada pelos americanos, explodia bem em cima do bairro católico da cidade.
A belíssima Catedral de Urakami, destruída, silenciou seus sinos por tristes anos.



Os sinos, mudos.
Dez mil católicos, mudos, pela morte instantânea.
Nagasaki ao pó retornava, morta ao fim da segunda guerra mundial.


Takashi Nagai, médico católico que sobreviveu à bomba atômica, registrou as memórias do ataque nuclear no livro “Nagasaki no Kane” (Os sinos de Nagasaki), em 1949.

O autor finaliza seu livro com a mensagem: “Os sinos não soaram por meses após o desastre. Tomara que nunca mais deixem de badalar! Tomara que transmitam sua mensagem de paz até a manhã do último dia mundo”.


O livro, registro de toda a triste memória do acontecimento, foi transformado em música, filme, peça de teatro.


É preciso manter viva a memória dos que viveram este triste episódio da história mundial.
Renovar os pedido de paz, para que os sinos jamais se calem novamente.


"Nagasaki no Kane" , interpretação de Yuki Saori e Yasuda Sachiko.

Um comentário:

Danian Dare disse...

Muito triste toda essa história, pena que a humanidade não aprende.