6.30.2017

Breve Visita à Casa do Artista Morto - Grande Almanaque Mauj

A existência acaba, sobram histórias e alguns pertences, 
que fizeram parte de uma vida.
Uma casa e galpão abandonados.

O dono da casa faleceu, 
tudo ficou como ele deixou.
Até mesmo seus carros, estão ali, mortos também.
Ermo.
Não tinha filhos, nem descendentes?

Vem comigo, vamos entrar na casa morta.
São tantas pelo Japão... 

O galpão anexado.
Desde 1994 o local está congelado no tempo.
Como sei? Pela data no calendário.
Ratos e aranhas eram o respiro de vida no lugar. 
Impossível respirar, pó e mofo.


Galpão de trabalho do morto. 
Ele era artesão, produzia artigos religiosos.
Passados mais de vinte anos, tudo segue no local e organizado.
Não toquei em nada, preferi respeitar a essência do ambiente. 


A parte principal da casa está inacessível.
Um monte de tranqueiras de escritório barram a entrada.

Que descanse em paz.
E fica o recado de que apenas nossa alma é que conta, 
o resto é tudo ilusão.

6.29.2017

Por Sakae e Fushimi - Nagoya, Aichi - Grande Almanaque Mauj

Um dia de inverno.
Cidade de Nagoya, província de Aichi. 

Fazia minha caminhada pelas ruas de Sakae e Fushimi.
Te conto como foi, como se você caminhasse comigo, tá?

Estava com fome, queria almoçar em um restaurante indiano que adoro.
Simpático e gostoso.

Mas estava fechado, uma pena.


Outra opção: o restaurante bem japa. 
Kisetsu Ryouri Kamon.
Ah... não tava muito a fim de sushi, sashimi e cia, não.

Optei pelo Briccone, um italiano que tem um menu elaborado e bacana.
Orgânico.

 Sigo a caminhada depois do almoço.


SunDance é uma loja de produtos indígenas.
Gosto da loja, mas
estas luzinhas piscantes no painel.... nada a ver, né?

Biancaneve. Aqui se faz estética com agulhas. Tipo uma acupuntura da beleza.
E também tem curso de estética.
A dona do salão gosta de desenhar...

 RFFN - um festival que fazem em Nagoya, com filmes de refugiados. 
Dar voz para pessoas que sofrem perseguição política, social, fugitivos de guerra.

Max Azria.

"Bon Chic, bon genre"
A moda da Tunísia.

Loja de artesanato, uma graça essa maleta, né?

Que bunitim!

Esse predinho escondido, em forma de farol marítimo, é um restaurante
bem legalzinho. Mas só funciona a noite....

Torre da NTT Docomo. 
Acabou caminhada.

6.28.2017

Tapecorder Type G - 1950 - Sony - Grande Almanaque Mauj


 "Tapecorder Type G - Clear Voice".
Produzido em 1950 pela Tokyo Tsushin Kogyo  -
que hoje em dia você conhece como "Sony".

 O primeiro gravador de fita de rolo de fabricação japonesa.
Em exposição no Museu de Ciências de Nagoya (Aichi).

O meio de gravação deste pioneiro aparelho de áudio era uma longa fita de papel, revestida com pó magnético.


Considerado portátil e levíssimo - pesava 35 kg, um feito para aqueles tempos de enormes e pesados aparelhos valvulados - tornou possível o registro de vozes humanas e música, em suporte regravável, prático e particular.

Até então se gravava voz em discos de acetato, gravadores de fios de aço. Ou em caríssimos aparelhos alemães e ingleses.

Era o início da Sony e do caminho ao apogeu da indústria eletrônica japonesa.




No passado não era nada fácil ouvir sua música preferida.

Para tal, era preciso comprar um caro e frágil disco de 78 rotações, torcer para que a canção tocasse no rádio. Ou então pagar uma fortuna (o preço de um carro) nestes gravadores de rolo, com fitas igualmente caras.

6.27.2017

Carro de Otaku - Fantasias de Amor e Sexo - Grande Almanaque Mauj

Estava lá, no estacionamento de um supermercado japonês,
um velho carro, todo decorado.

Enfeitado com personagens do manga Lucky Star,
que conta a história de quatro garotas estudantes.

Confesso que nada sei deste desenho (não curto mangás, nem animes).
Mas o próprio carro já me dava todas as informações 
sobre os personagens, rs.

O dono do veículo tem uma predileção-paixonite pela personagem Hiiragi Kagami.
Dados como local de nascimento, altura, hobby, gostos pessoais, 
até mesmo o tipo sanguíneo  
estão estampados no vidro traseiro do carro.

Bonequinhos dos personagens colados no velho carro, 
selinhos que resumem um pouco da história e do sentimento
do proprietário.

Muitos japoneses solitários e nerdões costumam tratar 
os personagens de desenho como se fossem reais.

 Dentro do carro a coisa é um pouco mais assustadora.
Até os bancos são encapados com os personagens.

Ah, borrei (porcamente) as placas do carro.
Detalhe do retrovisor e das frases escritas por todo o carro.,
muitas fotos.

Carro de otaku.
Cada um com sua mania, 
de perto ninguém é normal.


Estes fãs "exagerados" de personagens, chamados de otaku aqui no Japão, são pessoas que se dedicam obsessivamente a um personagem.

Alguns chegam a se isolar socialmente, desenvolvendo até uma certa fobia social.

A interação humana é substituida pela ficção e seus personagens, por ser mais segura e controlável (só depende da imaginação da pessoa). Na fantasia, o sujeito se realiza e se enxerga como ser.

No Japão não é raro ver alguém que se envolveu afetivamente,  até mesmo sexualmente, com um personagem de desenho.

Na forma de companheiro, melhor amigo ou namorado, o personagem ganha vida e passa a fazer parte do cotidiano, "interagindo" com o fã. É uma forma de escapismo de uma sociedade complicada, reservada e cheia de regras sociais, já que o mundo real não é previsível e muito menos mágico e encantado.

6.23.2017

Leite Condensado de Côco - Caseiro, Vegano, Sem Lactose - Grande Almanaque Mauj.

Dica para veganos, quem está fugindo da lactose.
E para quem gosta das coisas feitas em casa.

Parecido com o leite condensado tradicional, com um leve sabor de côco, este leite condensado vegetal é fácil de fazer.






Receita-base
  • 500 ml de leite de côco (não use a versão light, não dá certo)
  • 100 gramas (meia xícara) de açúcar mascavo (o branco também serve).


Coloque o leite de côco em uma panela, deixe ferver.
Baixe o fogo (para médio-baixo) e acrescente o açúcar.



Deixe apurar de vinte minutos a meia hora, mexendo lentamente, até a mistura engrossar bem.

Reserve e leve à geladeira.

Dicas:

  • Se quiser o leite condensado claro, use açúcar branco em vez do mascavo.
  • Apure BEM o líquido, para que engrosse e tenha sabor de leite condensado (senão vira mingau de côco). Mas tenha cuidado para que a mistura não passe do ponto e fique açucarada.
  • Guarde na geladeira, para que o leite condensado fique mais espesso e dure mais tempo.
  • Faça, de uma vez, 3, 4 receitas-base. A mistura rende pouco e você vai querer muito.
  • Para uma opção mais saudável, porém não-vegana, substitua o açúcar por mel.

No vídeo abaixo, o preparo do leite condensado de cõco e a mistura finalizada.



E está pronto seu leite condensado caseiro, zero lactose e vegano!

6.22.2017

Erótica Coca Cola - Grande Almanaque Mauj.

Toyohashi, verão de 2014 de certo dia.
Ele veio com uma uma coca e...
A gente conta para os outros, 
ninguém acredita.



"Compartilhe uma coca com Shota".
Para quem gosta
deve ser uma delícia.


A Coca-cola japonesa também teve sua série de garrafas/latas com nomes próprios no rótulo.

Shota é nome,de menino. Você acredita, menina?
Nome bem comum para homens, o Japão está lotado de Shotas.

Coca de shota?
Não tomo, não. Deixa para quem gosta.

Mas olha, viu!


6.21.2017

Deu Merda - Grande Almanaque Mauj

Que o Japão é um país doido e cheio de japoneses ainda mais doidos, todo mundo já sabe.

Mesmo morando no arquipélago há mais de dez anos, ainda me surpreendo com certas bizarrices nipônicas.



Em que país do mundo você caminha e encontra bundas com merdinhas, balançando ao sol e sorrindo safadamente pra você?


Bandeiras de campanha do "intestino perfeito".

6.20.2017

Geléia de Babosa - Sabores do Japão - Grande Almanaque Mauj

Uma geléia japonesa,
em um belo tom âmbar.


Geléia de... babosa!
Aloe Jam, da Kanpy.
Comprei no Daiso (loja japonesa de R$1,99) .
100 ienes, uns 3 reais o potinho de 150 gramas.

 Não é cosmético,
 feito para passar no corpo e cabelos.
É doce, feito com a polpa de aloe vera, 
acrescido de uva moscatel.
Gostosa essa geleinha!

A uva moscatel contém uma textura parecida 
com a parte interna da babosa.
Ao serem mixadas, ambas se confundem 
e a uva mascara o gosto amargo da babosa.
Portanto aproveitam-se as qualidades da babosa, 
sem ferir o paladar.




A babosa, também conhecida como aloe vera, é riquíssima em nutrientes.
Saponinas, minerais, cálcio, lignina, potássio, magnésio, zinco, cromo, cobre, ferro, etc.
Contém ainda vitaminas B e E.
Auxilia nos problemas do aparelho digestivo e fortalece o sistema imunológico.
Equilibra a glicose no sangue.

Estudos indicam o consumo de sua polpa como tratamento auxiliar em casos de câncer.

6.19.2017

O Grande Incêndio de Itoigawa - Niigata - Grande Almanaque Mauj

Os recentes incêndios em Londres  (Edifício Grenfell) e Portugal (Pedrógão Grande, em Leiria), me fizeram lembrar de um triste caso, ocorrido aqui no Japão.

Em Itoigawa, cidade litorânea na província de Niigata, cerca de 140 edificações terminaram incendiadas.



22 de Dezembro de 2016, 10 e meia da manhã.

Explode um botijão de gás em um restaurante local de lámen.
Rapidamente as chamas tomam conta do local.

Os fortes ventos, oriundos do Mar do Japão e tão comuns na região, espalharam as labaredas pelas edificações vizinhas, por vários quarteirões.

Lojas, casas, restaurantes, terminaram queimados em oito horas de fogo intenso.


Uma coluna de fumaça de 300 metros de altura se ergueu, dificultando muito o trabalho dos bombeiros e socorristas.

Quase 600 pessoas tiveram que ser evacuadas.


Duas mulheres foram internadas por inalar fumaça, alguns tiveram escoriações leves ao fugir das chamas. Felizmente ninguém morreu e nem ficou gravemente ferido, os prejuízos foram materiais.

Tal incêndio assustou muito os japoneses.
Relembrou muito o Grande Incêndio de Tokyo, no ano de 1923, no qual a cidade sacudiu em um fortíssimo terremoto, que acabou por gerar um imenso e mortal incêndio.

Desta vez ninguém morreu, mas o fogo se propagou longe demais para um país que se considera prevenido contra todo o tipo de catástrofes e desastres. Foi um choque de realidade e a questão de prevenção aos incêndios passou a ser repensada.

 (imagens via google)