4.24.2017

Quando Me Amei de Verdade - Reflexão Positiva - Grande Almanaque Mauj

Quando me amei de verdade, compreendi que em qualquer circunstância, eu estava no lugar certo, na hora certa, no momento exato. E então, pude relaxar. Hoje sei que isso tem nome... Auto-estima. 

Quando me amei de verdade, pude perceber que minha angústia, meu sofrimento emocional, não passa de um sinal de que estou indo contra minhas verdades. Hoje sei que isso é...Autenticidade. 

Quando me amei de verdade, parei de desejar que a minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo o que acontece contribui para o meu crescimento. Hoje chamo isso de... Amadurecimento. 

Quando me amei de verdade, comecei a perceber como é ofensivo tentar forçar alguma situação ou alguém apenas para realizar aquilo que desejo, mesmo sabendo que não é o momento ou a pessoa não está preparada, inclusive eu mesmo. Hoje sei que o nome disso é... Respeito. 

Quando me amei de verdade comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável... Pessoas, tarefas, tudo e qualquer coisa que me pusesse para baixo. De início minha razão chamou essa atitude de egoísmo. Hoje sei que se chama... Amor-próprio. 

Quando me amei de verdade, deixei de temer o meu tempo livre e desisti de fazer grandes planos, abandonei os projetos megalômanos de futuro. Hoje faço o que acho certo, o que gosto, quando quero e no meu próprio ritmo. Hoje sei que isso é... Simplicidade. 

Quando me amei de verdade, desisti de querer sempre ter razão e, com isso, errei muitas menos vezes. Hoje descobri a... Humildade. 

Quando me amei de verdade, desisti de ficar revivendo o passado e de preocupar com o futuro. Agora, me mantenho no presente, que é onde a vida acontece. Hoje vivo um dia de cada vez. Isso é... Plenitude. 

Quando me amei de verdade, percebi que minha mente pode me atormentar e me decepcionar. Mas quando a coloco a serviço do meu coração, ela se torna uma grande e valiosa aliada. Tudo isso é... Saber viver!

Quando me amei de verdade, deixei de temer meu tempo livre e desisti de fazer planos. Hoje faço o que acho certo e no meu próprio ritmo. Como isso é bom!

Quando me amei de verdade, desisti de querer ter sempre razão, e com isso errei muito menos vezes. 

Quando me amei de verdade, desisti de ficar revivendo o passado e de me preocupar com o futuro. Isso me mantém no presente, que é onde a vida acontece. 

 Quando me amei de verdade, percebi que a minha mente pode me atormentar e me decepcionar. Mas quando eu a coloco a serviço do meu coração, ela se torna uma grande e valiosa aliada.



 
Quando Me Amei De Verdade 
Kim Mcmillen & Alison Mcmillen 
Editora Sextante、 2009 
64 páginas.



Kim McMillen faleceu aos 52 anos.

Alison, sua filha, ao organizar as coisas deixadas pela mãe recém-falecida, encontrou um simpático caderninho, cheio de anotações e pensamentos manuscritos por Kim.

Um caderno manuscrito, que reunia toda a filosofia de vida de sua mãe. Encantou-se com a simplicidade e a leveza do conteúdo, que descreviam tão bem seu jeito de viver.

Alison publicou os pensamentos do caderno de memórias em forma de um pequeno livro, em homenagem à Kim.

O mesmo se torna um sucesso imediato, explodindo em vendas em todos os Estados Unidos.





Quando Me Amei de Verdade, de Kim e Alisson McMillen, é um livro daqueles de leitura bem rápida.

Simplezinho, de facílima compreensão, repleto de boas reflexões para uma vida mais leve e melhor.

Um estilo à la "Minutos de Sabedoria", só que ainda mais direto e simples.

Sempre leio, releio este livrinho.
Gosto, me faz bem, me deixa mais leve, tranquilo e de bem comigo.

Não tenho preconceito nenhum com livros de autoajuda, ainda mais se realmente sinto que me fazem viver melhor.

2 comentários:

Juliana Ramalho disse...

Conheci esse livro em uma publicação na Revista Claudia faz um tempo. Me emocionei pela história em si e na verdade o que a mãe registrou em seu caderninho e que virou livro depois, são pílulas para todos os males e vitaminas de sabedoria para se tomar diariamente.
Bom reler a história, obrigada.
Bjo

Mônica disse...

Alexandre. Gostei muito do poema. Serve mesmo para refletirmos. Não conhecia esta história. Vou pensar na frase quando me amei de verdade.... Com carinho Mônica