9.29.2016

Meu Amor, Meus Olhos (Habibi Ya Eini) Grande Almanaque Mauj

Maquiagem com "olho árabe". 
Entenda o significado.


Meu amor, meus olhos, Habibi Ya Eini.

Os olhos, para o árabe, é o mais importante sentido sensorial humano.
O olho te liga com a divindade, através deles podemos ver o mundo criado por Allah.
O olhar revela o profundo de cada alma (teus olhos nunca mentem, sempre entregam o real sentimento).

Em português dizemos "de coração" para tudo o que nos é importante e com sentimento.
Árabes dizem "dos meus olhos (min ayuni)".

Caso um árabe diga que você é os olhos dele (ou que por você ele oferece seus olhos) saiba que é uma declaração de amor/afeto das mais importantes e profundas.

Omar Borkan Al Gala.

Habibi ya Eini é um clássico da canção libanesa.

Famosa canção de amor, interpretada por Maya Yazbek, que narra as saudades de um amor que partiu.
Ganhou o mundo, através da dança árabe (raks el sharq, a famosa dança do ventre).

Letra e tradução

Habibi ya eini 
Meu amor, meus olhos

Ya eini ya leili 
Oh meus olhos, minha noite

Yam sahar eini 
Meus olhos despertos por ti

Bein hari wi leili 
Durante meus dias e noites

Walla shta' na
Juro por Deus

Wahaiatei einek 
Saudades de teus olhos

Yamfarei' na
Tu é quem te separas

Shta'na lei einounek
De mim, sinto sua falta

Beiu judek yabu samra
Em tua presença, tu que fostes nomeado Samra

Yehla sahar beileil 
A noite segue mais feliz

Weil heilou bei yetiwal omra' 
Cuja beleza se perpetua

Wein ghani ya eini ya leil 
E nós cantamos "oh meus olhos, oh noite".

El maghna hayateil ruh
E cantar é a vida de nossa alma

Yeishfeil albeil majruh
Cura um coração ferido

Yalla neiro's wein ghani 
Vamos dançar e cantar

Weinesh bei ahla jani 
Viver no mais belo paraíso

Yalla, yalla yalla 
Vamos, vamos, vamos

Yalla, yalla yalla 
Vamos, vamos, vamos

Yalla, ya Baseim 
Vamos, oh Baseim

Tabeili sha waya 
Toque esta tabla

Winta ya Yasbee 
E você, oh Yasbee

Aseimli showaya
Toque um pouco para mim

Winti ya mazika
E você, oh música

Do ele shou waya 
Toque um pouco mais

La, la, la, la, la, la...






9.28.2016

Pão de Melão Tartaruguinha - Receita - Grande Almanaque Mauj

Oi! Tudo bem?
Fui na padaria e comprei pães de melão!
Adoro!
Em formato de tartaruguinha, super simpáticos!




Meron pan (メロンパン), pão de melão, em japonês.

Pão doce e bem gostosinho, que você encontra em todas as padarias e boulangeries japonesas.
Macio por dentro e com uma cobertura abiscoitada, que de leve lembra um biscoito champagne.

Gosto muito!
De melão, tem apenas a aparência (o formato do pão lembra um melão cantaloupe) e pode conter essência da fruta.

Te ensino a fazer!
Mão na massa!



Massa (rende 8 pãezinhos)

・150g de farinha de trigo

・1 colher de chá (3g) de fermento biológico seco

・2 colheres de sopa (20g) de açúcar

・80ml de água

・1 colher de sopa de ovo batido

・¼ colher de chá de sal

・10g de manteiga



Massa de biscoito da cobertura

・100g de farinha de trigo

・¼ colher de chá de fermento em pó

・Casca de ½ limão

・40g de manteiga

・1 gema de ovo

・1 colher de sopa de leite ou água

・3 colheres de sopa (30g) de açúcar

・Um pouco de açúcar granulado 

Modo de preparo

Inicialmente, prepare a massa do pão. 
Misture o fermento biológico com a água numa vasilha. 
Adicione o ovo batido, o açúcar, a farinha de trigo e o sal. Misture formando uma massa. 

Coloque sobre uma superfície lisa e sove até ficar macia. 
Sove por cerca de 10 minutos, levantando constantemente a massa e batendo-a contra a superfície.

Espalhe os 10 gramas de manteiga em pontos sobre a massa. 
Outra vez, bata e sove a massa por 5 minutos. Forme uma bola e coloque numa vasilha untada com manteiga.

Cubra a vasilha com filme plástico para evitar que a massa seque. 

Coloque a vasilha num lugar morno e deixe crescendo até dobrar de tamanho (cerca de 30 a 40 minutos). Se sua cozinha for fria, coloque a vasilha dentro de outra maior contendo água na temperatura de 37 graus.

Enquanto a massa cresce, faça a massa de biscoito. 

Misture a farinha e o fermento em pó e passe tudo pela peneira, também rale a casca de limão. 
Adicione o açúcar à manteiga numa tigela e misture até virar uma pasta esbranquiçada. 
Depois junte o leite, a gema de ovo e a casca ralada do limão. 
Adicione a farinha e misture até formar uma massa. 
Faça um rolo, cubra com filme plástico e deixe descansar na geladeira por 20 minutos.

Depois da massa do pão dobrar de volume, divida em 8 partes. 

Enrole cada uma fazendo um pão redondo e expelindo o excesso de ar. 
Cubra com filme plástico, e deixe os pães descansarem por 10 minutos.
Divida a massa de biscoito em 8 fatias. 
Cubra cada uma levemente com farinha e abra sobre uma superfície plana, formando círculos de cerca de 8 cm de diâmetro. 
Embrulhe cada pão com esse círculo de biscoito.

Polvilhe os pães com o açúcar granulado. 
Use as costas de uma faca para fazer marcas no pão, imitando a aparência de melões.



Coloque numa forma de assar e deixe os pães crescerem mais uma vez por cerca de 30 minutos.
Asse por 15 minutos na prateleira do meio em forno preaquecido a 170 graus.
(receita via NHK).



Use sua criatividade! Dê ao pão formatos diversos.
Inclua pequenas bolinhas de chocolate na massa (aqui no Japão se usa muito com o pão de melão), etc.

9.26.2016

Espadrilhas Mexicanas Artesanais - Minha Moda - Grande Almanaque Mauj

As espadrilhas, espadrilles, alpargatas ou espardênias (chame como quiser, até mesmo de sapatilhas) dizem por aí que eram usadas pelos espanhóis, desde o século XIV, em suas atividades cotidianas.

Ok, eu tenho sangue ibérico, uso este tipo de calçado no meu dia-a-dia.
Tá?




Espadrilhas artesanais, feitas no México, por indígenas maias de Yucatán.

Espartos (uma planta similar à palha) trançados, com tecido estampado de huipil (vestimenta própria dos indígenas do sul do México, em algodão).
Super confortáveis, adoro!

Fim de semana com churrasco, festa de aniversário, dia no mato. Ainda faz calor no Japão.
Uma alternativa gostosa, leve, para os tradicionais sapatos e tênis de sempre, ou até mesmo os chinelões nada elegantes que usamos no verão/início de outono.

Preço? Cinco mil ienes, uns cento e sessenta reais.

9.20.2016

Eu Canto Pra Você, Vera Hatsugai - Keiken - Henmi Mari - Grande Almanaque Mauj

Porque hoje é aniversário de Vera Hatsugai.
Minha querida amiga, que para mim é família.
E você gosta desta música!

Parabéns, felicidades eternas!



Henmi Mari gravou "Keiken" (Experiência) em 1970.

Um grande sucesso em todo o Japão, esta música gerou forte polêmica na época - carrega um certo teor erótico (mas hoje em dia soaria inocente).
Em resumo, sem meias palavras, a letra da canção diz "eu te amo mas você só quer me comer".

A música, por causa do tom sussurrado e letra sensual foi proibida de ser apresentada na tv estatal japonesa (a poderosa NHK). Mesmo sendo uma das mais tocadas do ano, não pode participar do Festival Vermelho e Branco da Canção Popular Japonesa (NHK Kouhaku Utagassen) à época.


Certo dia estava na casa de um amigo, Kensuke. 
Depois de uns bons goles e goles de vinho, lembramos dessa música e brincamos de cantar. 
Gravamos em um pequeno gravador, desses de mini-fita mesmo (por isso o chiado no áudio).

A voz é minha, Kensuke no violão, um microfone dividido para dois.
Foi divertido, tentei não rir enquanto cantava/gemia. 

Se tem curiosidade de saber como é minha voz, esta aí o audio.
Foi gravado de primeira. Improvisado. Assim foi e assim ficou registrado.

Erro o tom, desafino, desando. Mas tá, é de brincadeira mesmo, pra que complicar?

Ouça minha versão de "Keiken", de Henmi Mari.






9.16.2016

Vambora Viver - Reflexões "Post Mortem" - Grande Almanaque Mauj

Com a partida tão abrupta do ator Domingos Montagner (que triste, isso, lamentável) a gente é obrigado a reconhecer como a Vida é efêmera.

Do nada tudo pode terminar.
Vai o último sopro, tua existência acaba.


E o que de nós resta por aqui?
Que sentido houve em nosso existir?

Que fizemos? Quem éramos?
O que deixamos para o mundo?

Quais são as lacunas que sobrarão abertas, os assuntos pendentes, os amores não declarados, brigas sem socos, contas não pagas, risadas que não foram dadas, lágrimas que não foram amargadas, armários bagunçados, os prêmios da sorte grande que ignorados foram?

Coisas de Vida que adiamos viver.
Vem a morte e te esfrega na tua cara que agora não há mais tempo pra isso...
Azar o seu, que não aproveitou bem o tempo de vida.

Com a partida de alguém a gente reavalia nossa própria existência. Nossa finitude.
Porque um dia a gente também vai e talvez nem demore muito, vai saber.

Só vale o que a gente é, o que se fez.
O que temos, nem tanto, pois ficará tudo para o mundo brigar pelas nossas "posses".
O que deixamos para fazer ficou sem conclusão, tal qual obra inacabada.

Vambora viver, né?

9.12.2016

O Navio dos Tolos. Rio Dotonbori, Osaka - Grande Almanaque Mauj

E estávamos lá, na cidade de Osaka, no Buteco Brasil.
Batendo papo, falando besteira, comendo e bebendo (delícia, né).

E... olhando para o movimento da rua, vendo passar os barcos e seus doces turistas, a ondular nas águas do Rio Dotonbori.

Filmei pra você. Esse barquinho, o "Navio dos Tolos",  estava animado.
Uma boatinha sobre águas, a percorrer os canais do rio Tombori (Dotonbori) em 20 minutos.
Divertido!

Boa semana!
(troque o áudio, porque estávamos falando muita besteira, melhor você não ouvir!).

9.08.2016

E Dança E Canta a Gueixa - Se Estiver de Boa, Venha Aqui! - Grande Almanaque Mauj


Ohimanara Kite Ne.
Pode-se traduzir por "Se estiver de boa, venha aqui".

Na voz de Satsuki Midori, cantora japonesa de música enka (tradicional), esta canção fez e ainda faz grande sucesso. Gravada em 1961, sempre cantada e relembrada em enkai (banquetes típicos japoneses), karaokes, festas com Ozashiki (o entretenimento oferecido pelas gueixas).


E como uma perfeita geisha, Satsuki Midori apresenta seu grande sucesso.
Compartilho aqui com você, acho fofo.
Acompanha uma dancinha das japonesas, em seus quimonos tradicionais de geisha e a tradicional delicadeza, elegância nos gestos e expressões.

Sinta-se em uma tarde em Quioto.
Vídeos da tv japonesa, anos 1970.

8º NHK Omoide no Melody - 1976
Satsuki from Mauj Alexandre Imamura Méndez on Vimeo.

Tokyo TV - 1975
Satsuki from Mauj Alexandre Imamura Méndez on Vimeo.

9.02.2016

Nandito Ako - Estou Aqui - Amor em Tagalog - Grande Almanaque Mauj

Ao morar no Japão, acabei por ter contato com gente de culturas bem diferentes.
Outros países, caras e costumes. Diversas formas de ser, viver, personificar e até mesmo amar.

Tem uma música linda, que gosto muito.
Filipina, me foi apresentada pelos amigos do país insular, em divertidas festas com muita música, comida, amor e karaokê.


Nandito Ako (Estou aqui), grande sucesso de 1980, na voz de Ogie Alcasid, um ícone da música romântica filipina.

Compartilho com você a versão gravada por Lea Salonga, uma das grandes da canção popular asiática.
É a interpretação que mais gosto, tem um toque mais romântico e apaixonado.



Nandito Ako
Estou Aqui

Mayroon akong nais malaman
Há algo que eu queria saber

Maaari bang magtanong?
Poderia te perguntar?

Alam mo bang matagal na kitang iniibig
Sabes que sempre te amei

Matagal na kong naghihintay
Porém ainda te espero

Ngunit mayroon kang ibang minamahal
Pois tu amas outro alguém

Kung kaya't ako'y di mo pinapansin
E por esta razão não me notas

Ngunit ganoon pa man nais kong malaman mo
Apesar disso, gostaria que soubesse

Ang puso kong ito'y para lang sa iyo
Que meu coração é somente para ti

Nandito ako umiibig sa iyo
Aqui estou, amando-te

Kahit na nagdurugo ang puso
Mesmo que meu coração esteja sofrendo

Kung sakaling iwanan ka niya
Se ele te deixar

Huwag kang mag-alala
Não te preocupes

May nagmamahal sa iyo
Existe alguém para te amar

Nandito ako
Aqui estou


A mexicana Thalía, atriz-cantora famosa por sua "Trilogia das Marias" - telenovelas da Televisa que no Brasil foram exibidas pelo SBT, simplesmente enfeitiçou os filipinos com seus tele-dramas.

Fez tanto sucesso por lá que, em agradecimento ao carinho de seus fãs filipinos, resolveu gravar alguns clássicos da canção local, inclusive Nandito Ako! Em tagalo!

]


Sinto que nós, brasileiros, perdemos o costume de ouvir música romântica.
Ouvimos músicas que falam de amor, mas não necessariamente românticas, né?
Na Ásia, a canção romântica segue forte, principalmente nas Filipinas e Tailândia.

Eu gosto. Eu sou romântico.